Rock cristão?

diadorock13 de julho é comemorado o Dia do Rock, e nossa parceria com O Guia Cristão preparou uma matéria super especial pra comemorar a data.

Confira abaixo!


“Nos galhos secos de uma árvore qualquer, onde ninguém jamais pudesse imaginar, o Criador vê uma flor a brotar”… era assim que a Banda Exodos [sem acento mesmo]  cantava e tocava o seu rock nas escolas dominicais da Igreja Batista do bairro Vila Bonilha, na cidade de São Paulo, em 1970. “Galhos Secos”, regravada por tantos, é uma composição dos irmãos Osny e Osvair Agreste, componentes da primeira banda brasileira de rock cristão.

O grupo formado por Edson, Eli, Nelson, Osny e Osvair, começou a se apresentar em sua igreja local usando dois violões e uma bateria velha, mas com apoio de amigos e alguns poucos membros da igreja compraram novos instrumentos, amadureceram o som e começaram a tocar  em outras denominações, festivais e praça públicas, apresentando uma nova forma de adoração que fugia dos hinos tradicionais, mesmo que ainda fosse um rock de “som maneiro”, como eles próprios denominaram.

Mas nem tudo foi bem aceito. O Rock era um estilo de música não tradicional em templos evangélicos da época e pressões por parte dos vizinhos do templo, líderes e membros de igrejas contrários àquele tipo de adoração fizeram que a Exodos encerrassem as atividades em 1977, com apenas 7 anos de duração, sem nenhum álbum gravado, apesar das mais de 50 composições.

O som sujo da guitarra e a barulheira da bateria do agora chamado “rock pauleira” não eram bem visto em um tempo em que a Igreja exercia um papel de implementadora da moral na sociedade e em um período de repressão ditatorial. O Ato Institucional 5 reforçava justamente esse papel da igreja e na época o rock secular fazia justamente um movimento contra o governo ditatorial, obtendo um tom de rebeldia.

Depois que uma vizinha do templo Batista ameaçou dar queixa na polícia por se incomodar com o som dos meninos do Exodos, o pastor Samuel de Andrade teve que convidá-los a finalizarem a banda, o que de fato ocorreu. “Para os que faziam oposição ao pastor e ao nosso conjunto, essa fato caiu como uma luva, agora tinham motivo. Inflamados em uma reunião diziam: “fora com esses rebeldes, fora com o Exodos”, disseram os integrantes em uma entrevista ao Arquivo Gospel, em 2005. O caso chegou a ser matéria da revista VEJA (clique nos links para acessar as fontes).

O que talvez nossos irmãos da época não tinham conhecimento é que o Rock cristão nascera há uma década atrás nos Estados Unidos em um movimento de contracultura ao modo Hippie de viver. O movimento hippiepregava uma vida desregrada de sexo e drogas muito aderida pelos jovens da época, e foi com o Jesus Movement que pode-se oferecer àqueles jovens uma perspectiva de vida cristã.

Larry Norman, um dos líderes do Jesus Movement, que hoje é considerado o pai do Rock Cristão, compôs uma canção chamada Why Should The Devil Have All The Good Music (Por que o diabo tem que ficar com toda boa música?)em 1972, parafraseando Martinho Lutero que chegou a questionar “por que o demônio deve ficar com os melhores tons?” ainda no século XVI, quando se acreditava que determinados tons musicais eram incompatíveis com o culto cristão.


I’ve been filled, I feel okay [Eu tenho sido preenchido, eu me sinto bem]

Jesus is the rock and he rolled my blues [Jesus é a rocha e rolou [cortou/cessou] minha tristeza]

Em Why Should The Devil Have All The Good Music, Larry Norman faz trocadilho com a expressão rock’n roll


Nas décadas seguintes, a aceitação do ‘novo’ estilo foi se tornando realidade e se consolidou a partir do final dos anos 80 e início da década de 90. Aqui no Brasil é fácil lembrar de alguns nomes como Fruto Sagrado, Novo Som, Katsbarnea, Catedral, Oficina G3, Resgate, Palavrantiga, Khorus e Rodolfo Abrantes.

Em sua história, o Rock adquiriu vestes de protesto contra o sistema, de revolta, rendendo-lhe muitas críticas.  Mesmo assim, nada melhor que uma música que procura o novo, falar sobre a Boa Nova que traz vida a todos aqueles que a anseiam.

Hoje, em seus diversos formatos, o rock se tornou o principal gênero musical no meio cristão. Bandas e cantores internacionais influenciam fortemente a produção nacional (Hillsong United e Jesus Culture, por exemplo) e até mesmo aqueles que até alguns anos atrás produziam arranjos orquestrais em seus álbuns, hoje não abrem mão do sonido da guitarra (compare os álbuns atuais e antigos do Leonardo Gonçalves).

Olhando assim, parece mesmo que de um galho seco de uma árvore qualquer, onde ninguém jamais pudesse imaginar, o Criador fez o Rock brotar.

Por: Felipe Nascimento (O Guia Cristão)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s