O negro e a música — com o cantor Julio Cesar

1924388_533721263426624_2296535574537833845_nTenor do Coral Resgate, ex participante do programa Ídolos, professor de canto e negro. Julio Cesar nos conta nessa entrevista como funciona o mundo da música negra, seus estilos, preconceitos e prazeres. Além disso, fala sobre sua experiência na competição televisiva, explica mais sobre “revival” e as tradições afro de sua igreja, e ainda explica as diferenças entre secular e gospel. Confira!

Por Jayane Condulo.


 

Você considera que a cultura negra está bem representada na música atualmente?

Bom, a cultura negra está sempre bem representada em todas as partes do mundo.

Na sua opinião, o Brasil investe o suficiente na cultura negra?

Não. Na minha opinião, o Brasil é só mais um falando sobre música, e não investe nem cultura a negra, nem em nenhuma outra.

Em 2009, você participou do programa Ídolos. Lembra de ter sofrido preconceito em algum momento da competição?

Não. Fui muito bem tratado por todos! Foi maravilho e é experiência para o resto da minha vida, sem nenhum tipo de preconceito. Construímos uma família ali de negros e brancos, pobres e ricos.

10676296_541922552606495_4125939660812135610_n

A Editora Ultimato lançou em 2015 um livro chamado “A religião mais negra do Brasil”, declarando que, ao contrário do pensamento popular, a religião com o maior número de negros não são as religiões de origem africana, mas os pentecostais. Quais fatores você considera que foram importantes para esse crescimento da raça nas igrejas evangélicas?

Eu tenho uma certa dificuldade em separar negro e branco, pois a Bíblia fala que Deus não faz acepção de pessoas. O crescimento da raça nessas igrejas é pelo amor ao próximo, pois a igreja não desfaz de ninguém. Existe ainda um preconceito sim, do tipo “o cara é negro, então é macumbeiro”, mas hoje não é mais assim, como mostra o livro. Assim como nos Estados Unidos o negro também está mais nas igrejas pentecostais. Então, acredito que o amor ao próximo tem crescido e deixado o racismo de lado.

Você faz parte da Cogic ­– Resgate Para Vida*, uma igreja fundada no Tennessee, bairro norte-americano de população predominantemente negra. Você acredita que o revival** utilizado nos cultos da Cogic funciona como chamativo para os negros adentrarem na igreja?

Tenho certeza que não foi por isso que os negros entraram na igreja, e sim porque o Espirito Santo tocava aquelas pessoas naquele momento, e entravam dançando, porque isso faz parte do revival. Nossa igreja foi fundada por um homem chamado William Seymour (19870-1922), um negro filho de ex-escravos e cego de um olho. O sonho dele era uma igreja grande, e pediu isso pra Deus. Então, Deus mandou que ele ensinasse o povo a dizer “sim, Senhor”. Ele pregava num caixote de maçã, e as pessoas eram curadas e batizadas em espírito nas ruas. O nome dessa rua era Azusa, e daí surgiu a Igreja de Deus em Cristo (Church of God in Christ), a Cogic.

10409294_677392615726154_4086769220942103216_n

O Coral Resgate também se preocupa com as tradições afro em suas músicas?

Sim. Tem que ter essa pegada, porque é a tradição da nossa igreja. É a música, mais conhecida como Gospel Spirit, que mexe com a alma e traz aquele sentimento. Isso já vem lá da escravidão, onde os negros cantavam pela sua liberdade.

Você acredita que investir na música afro ajudaria a quebrar preconceitos?

Eu acredito que sim, principalmente dentro da igreja. Tem gente que pede pra a gente cantar outras músicas que nem são do nosso repertório, porque não gosta do estilo, do balanço.. Eu acho que tem que investir nessa música  tanto no meio secular, quanto no gospel. No secular tem crescido muito, tanto que os africanos vem fazendo sucesso, essa música sem ser reggae mas com balanço, o chamado RAGA. Mas na música gospel nem tanto, ainda existe uma preocupação na igreja em abraçar esse tipo de música.

*Veja a matéria com o pastor da Cogic, Ivo Mariano. Clique aqui!

**Revival: estilo de música agitado, tradição afro-americana.


 

OUÇA JULIO CESAR:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s