POEMAS E POESIAS

Murchei, como a rosa murchou…

De fato, ela estava ali, ao lado de minha cama, perfumando ainda todo meu quarto, com a mesma linda cor que nos dias anteriores. Porém murcha e triste.

Perguntei-me como seria possível continuar uma rosa encantando tanto, mesmo já não vivendo mais. Então percebi que ela só estava refletindo a mim. Como posso eu continuar sorrindo mesmo murcha desse jeito?

A verdade é que, as circunstâncias ao redor nunca apagarão a verdadeira essência. A verdade é que a rosa continua sorrindo pra mim mesmo depois de morta, e eu continuo sorrindo pra vida, mesmo estando murcha.

— Jayane Condulo.

Anúncios

Somos metades

tumblr_lmjfzljQHi1qhzwhxo1_500Se teu riso solto só aparece quando estás comigo, significa que sou teu sorriso. Se teu coração acelera quando estás em minha companhia, significa que cada batida dele chama o meu nome. Se deixastes de pensar em ti para pensar em nós, quer dizer que transferi a minha casa para o teu inconsciente, e agora habito lá.

Somos a felicidade ambulante, somos metades completas, somos o sorriso constante. Somos a novidade, em meio à rotina, somos a alegria em meio ao velório, somos o tempo perfeito no ponteiro de um relógio.

Somos o momento exato no lugar certo, somos a perfeição, mesmo cheios de defeitos. Somos a bagunça arrumada, somos os degraus de uma escada, somos a mais bela nota de uma canção desafinada.

Somos pássaros livres, voando pelo infinito céu, mas mesmo assim voltamos para o abrigo onde teu braço aconchega o meu.

— Jayane Condulo.

Sobre o Natal

Cidade enfeitada

luzes coloridas
Canções são tocadas
o mundo em alegria
Natal é tão lindo
tanta animação
Pena que esquecem o Menino
que inspira tal comemoração
Sociedade consumista
mensagens clichês
E a gente ainda taura
a piadinha do pavê
Vou fazer bem diferente
ajudar o próximo, pra você ver
Assim posto no Facebook
quem sabe apareço na tv
Vou abraçar meus inimigos
fingir que estamos bem
Espero que Deus me perdoa
e viva o Menino de Belém!
— Jayane Condulo.

Consciência Negra

Me pediram pra abrir um sorriso
pois não estavam me enxergando
Tentaram me afundar num abismo
mas acabaram se enganando.

Falaram do meu cabelo
dizendo que era ruim
Ruim é o seu preconceito
coisa que não carrego em mim.

Não quiseram me contratar
a preferência é sempre dos brancos
Tentaram me deletar
mas a sociedade continua em prantos.

Pois o mundo está perdido
há muita coisa pra resolver
Assim como você, com o caráter falido
que tenta seu preconceito esconder.

— Jayane Condulo — especialmente pelo Dia da Consciência Negra e publicado anteriormente no blog Black Fap.

2014

Então, a Cantareira secou
o Campos morreu,
a copa acabou
e o Brasil perdeu.
Então, saíram do prédio
acabou a moradia
continuou o assédio
e a culpa é da menina.
Então, ergueram um templo
e toda cerimônia
tornou-se um evento.
Então, viramos macacos
enfrentamos o preconceito,
os gays se beijaram.
Então, quanto acontecimento
de alegria ou tormento
quanta expectativa
ainda tem alternativa
o ano não acabou
mas acabou a poesia.

— Jayane Condulo.