Rosângela Tomas

Semeando Alegria: unindo conhecimento e amor

ONG de Sorrisiologistas realiza workshop para universitários e convidados; objetivo é aproximar psicologia de ações sociais

827ce788-be6f-41e1-9a94-6da79e745a08

A Semana da Psicologia na Universidade Anhanguera (Belezinho), realizada anualmente para comemorar o Dia do Psicólogo,  recebeu na última terça-feira (23) os sorrisiologistas da ONG Semeando Alegria.

A Semeando Alegria que já é conhecida por levar amor, carinho e claro, muita alegria às crianças com câncer e também por emocionar a todos com os cantos de Natal em lares de idosos, está com uma nova proposta: um workshop para alunos de psicologia de diversos semestres da Anhanguera e convidados externos.

A ideia é linkar a psicologia com o trabalho de ações sociais. A princípio, os estudantes sentiram-se surpresos com a proposta, mas logo foram sensibilizados e entenderam a importância da união dos dois trabalhos.

A coordenadora do curso Lizandra Brandani, que abraçou a ideia sugerida pelo Dr. Esmigo (presidente da Ong Semeando Alegria), mostrou-se feliz e orgulhosa com o trabalho realizado naquela noite na Oficina Teatro Interpessoal com os Doutores da ONG Semeando. “Ficamos muito honrados com a presença de todos estes palhaços que semearam conhecimento na universidade”, declara.

Entre as diversas dinâmicas feitas pela Semeando, a que mais cativou os estudantes foi a dinâmica do abraço, onde ao som de uma música instrumental os alunos e convidados fizeram uma roda e passaram a se comunicar somente com o olhar e, por fim, deram um abraço em conjunto, caloroso e emocionante, capaz de quebrar tabus e trazer a sensação de alívio.

Para a equipe do Semeando, aquela que era uma experiência nova, tornou-se tão especial e importante quanto as outras. “Tudo fluiu naturalmente como nas apresentações para as crianças”, declarou o Dr. Esmigo.

Ao final da apresentação, Dr. Esmigo deixou para os convidados a mensagem de que “não podemos mudar o mundo, mas pelo menos mudando o mundo de uma pessoa já é válido”.

 Rosângela Tomas..

Anúncios

Semeando o Amor

O amor pode ser demonstrado e visto de diversas formas

Matéria: Rosângela Tomás.

Foto - Pedro Henrique.5

Foto: Pedro Henrique.

Casa cheia e muito amor para dar. Assim se resume a noite fria do último sábado (14), onde no Esporte Clube Banespa, na Avenida Santo Amaro nº 5.565, aconteceu o Semeando Alegria Show 2 – In Broadway.

Às 17:40 a entrada foi liberada ao público para o show, que estava marcado para as 18h. Em poucos minutos, quase todos os assentos já estavam ocupados. O musical, que costuma ter uma dança como abertura, foi representado este ano pelo balé.

Logo em seguida, o público se emocionou com uma declaração de amor entre Romeu & Julieta (um clássico literário do século XVI do escritor William Shakespeare), interpretados por um casal adolescente portadores da Síndrome de Down. O casal dançou uma valsa onde cada passo dado eram passos de amor.

Os adolescentes fazem parte do “Projeto Dança Adaptada” da ABADS (Associação Brasileira de Assistência e Desenvolvimento Social) juntamente com mais cinco jovens que dançaram a música “Rapunzel” da cantora Daniela Mercury, fazendo a plateia cantar e bater palmas no ritmo da música.

O grupo estava acompanhado da Fisioterapeuta Claudia, que trabalha na ABADS desde 1995. Ela iniciou seu trabalho como voluntaria, ensinando dança aos jovens. Depois de um tempo, já formada em fisioterapia, juntou a técnica da dança com a técnica da profissão para desenvolver a parte motora, equilíbrio e rítmica utilizando a música como instrumento principal. “A gente percebe que as crianças na instituição, principalmente as que tem Síndrome de Down, além de gostarem muito da dança, eles têm um talento para esse tipo de arte” – diz à fisioterapeuta, que aproveitou para deixar um convite para a comemoração antecipada do aniversario da Instituição, no dia 11 de junho ali mesmo no teatro do Banespa. Dessa vez, a equipe do Semeando Alegria que fará uma participação especial na apresentação. Claudia finaliza dizendo que essa foi a primeira participação com a Equipe do Semeando: “eu espero que não seja a única, que nós façamos mais parcerias, mais trabalhos juntos, pois eles são um grupo bem entrosado, de respeito e eu estou adorando”.

A força do amor

O show continuou com dois Semeadores interpretando um casal de idosos (Ana e Neno), que contavam a sua história de amor enquanto outros semeadores e voluntários iam encenando a história.

O casal se conheceu na escola e foi amor à primeira vista. A cena da escola foi retrata com um musical do filme “Grease – nos tempos da brilhantina” de 1978, onde eles dançaram a música “Sumer nights” da banda Van Halen e a música You’re The One That I Want escrita propriamente para o filme.

No decorrer da história, o casal foi mostrando como o amor é mais forte, sendo capaz de superar até mesmo a distância, quando a personagem Ana tem que voltar para Londrina (sua cidade natal), e mesmo assim os dois não deixam de se amar e trocam cartas durante todo o tempo.

Quando a personagem retorna, os dois ainda se amam e resolvem se casar. O casamento foi realizado pela Companhia Circo Silia, que interpretaram a clássica Família Addans e mostraram que até numa obscura e divertida família existe amor.

A Circo Silia, que é de São Bernardo do Campo, tenta levar uma nova versão do circo à plateia, a versão do circo teatro: “mostrar que o circo não é só palhacinho, bichinho” – diz Roger, representante da companhia.

Então, chegou  a hora da Companhia Ágata de Dança, que fez uma coreografia da música “O Ciclo sem Fim” do filme O rei Leão, para comemorar o nascimento do filho de Ana e Neno.

A companhia recebeu o convite da Semeadora Luana para participar do show que logo aceitou, pois a companhia está sempre envolvida com shows beneficentes.

Em um momento da história a personagem Ana descobre que está com um câncer, e é passada a mensagem do quão importante são os exames preventivos. O triste momento vem acompanhado de uma coreografia de balé da música “O fantasma da Ópera”, adaptação do livro de mesmo nome famosa nos cinemas e teatros.

Mas, o amor que Neno sentia por Ana foi mais forte, mostrando o quanto é importante estar do lado de quem tem a doença, que o amor, o carinho e a companhia são fundamentais durante o tratamento.

Semeando o “felizes para sempre”

Com o fim da história e quase se encerando o show, o Presidente da Semeando Alegria, Dário Teixeira, sobe ao palco usando o seu tradicional traje de Dr. Esmigo, agradecendo aos parceiros e colaboradores, como o Presidente Nelson do Esporte Clube Banespa, que acreditou no projeto, Maria Rosa Presidente da ABADS, a Casa Ninho, aos voluntários e ao Lucas Estevam responsável pela Casa de Apoio Vida Divina, que subiu ao palco e ressaltou: “é um sentimento que não tem palavras”, referindo-se ao trabalho realizado pela Semeando Alegria e completou: “juntos somos mais fortes”.

Além dos agradecimentos, Dário deu a notícia de que em dezembro deste ano a Semeando Alegria ONG realizará apresentações na Tailândia, e em 2017 será lançada uma nova parceria com Instituto Alana, que tem como missão “honrar a criança”.

O show contou também com um diferencial: a presença do Coral do Semeando, que fez com que cada cena ficasse ainda mais emocionante. Além da participação das companhias de dança, que também foi inédita. A semeadora Jéssica, conhecida como Sorriso, disse que a escolha das companhias foi através dos próprios semeadores, que já conheciam ou participavam de alguma.

Foto - Simone Chocolate.2

Foto: Simone Chocolate.

Um dos voluntários, mostrou que a distância não importa quando se tem amor. Conhecido como Capitão América, Gabriel conheceu o Dr. Esmigo pelo Instragram e voou lá de Brasília para a realização do show, conhecendo os integrantes do Semeando Alegria apenas um dia antes do espetáculo! Segundo ele, sua maior dificuldade foi fazer toda a magia acontecer, vindo de tão longe: “sair de um outro lugar valeu muito apena, cada sorriso, cada felicidade, pensar que uma noite como essa, uma oportunidade como essa pode muda a vida de uma pessoa, a nossa missão aqui hoje foi realmente, simplesmente semear alegria, então temos, missão cumprida.”

O show se encerrou com todos os integrantes e as crianças da plateia no palco, dançando a música “Happy” do cantor Pharrell Willians.

A cada show uma nova união

A advogada Michelle, de 32 anos, era cunhada de Marlon Eduany e estava na plateia no primeiro show. Após participar do evento, ela resolveu se tornar uma semeadora e entrou para a ONG em janeiro deste ano. “Parece que o coração vai sair pela boca”, declarou Michelle ao fim do show. Thiago, seu marido e irmão de Marlon, também participou este ano como voluntário e fotógrafo da ONG.

Lueden, responsável por toda produção musical do show e por trabalhar a voz do coral, também subiu ao palco e brilhou cantando no seu primeiro show com a ONG. “O maior desafio é levar a felicidade de forma didática sem dizer que você tem que ser feliz”, explica Lueden, que já seguia a ONG pelas redes sociais e resolveu participar.

Foto - Danilo Ignácio.1

Foto: Danilo Ignácio.

Semeando Alegria Show

 

IMG_4135Matéria: Rosângela Tomás. / Fotos: Clarissa Zuza.

Levar amor e alegria aos corações foi o que fez a ONG (Organização não Governamental) Semeando Alegria, na tarde do último sábado (21) no Teatro Caritas, localizado na Rua Pedro Paulino dos Santos, nº 157, no bairro de São Mateus, Zona Leste de São Paulo.

Esta foi a 1º edição do Semeando Alegria Show, que abriu as apresentações com todos os integrantes da ONG, dançando a música Superfantástico do Grupo Balão Mágico, e logo em seguida alguns dos Semeadores (como são chamados os voluntários) fizeram uma apresentação no estilo Hip Hop ao som de Firework, da cantora POP Norte-Americana Katy Perry, que em seu clip oficial traz cenas de uma criança com câncer e em sua letra manda uma mensagem de esperança*.

Após as duas apresentações, o Presidente da ONG Dário Teixeira*, que além de ter formação em Recursos Humanos e em Gestão de Brinquedotecas, é ator e Sorrisiologista, retornou ao palco trajando seu uniforme de Dr. Esmigo juntamente com a Florisbela, vice presidente da ONG. Os dois deram as boas vindas aos convidados e explicaram que a ONG Semeando Alegria surgiu de uma conversa de elevador entre os dois, que perceberam que o que eles queriam era levar alegria a aqueles que mais precisavam.

IMG_4003.JPG

O show continuou com o musical “A Semente”, onde os Semeadores contaram que cada um possui uma “sementinha” dentro de si e ressaltaram a mensagem de que a missão da ONG é levar amor e alegria aos corações. Doutor Esmigo apresentou cada integrante da sua trupe que distribuíram balões em formato de coração para a plateia.

As apresentações continuaram e o Dr. Esmigo convidou a plateia para se levantar, dançar e cantar a música da “Melancia”.

À tarde de sábado contou com vários convidados, entre eles José Luiz, Diretor da Casa Ninho além de Lucas, responsável pela Casa de Apoio Vida Divina*, ambas casas de apoio à crianças com câncer e suas mães, que por muitas vezes vêm de outros estados e não têm onde ficar. Nessas casas, as crianças e suas mães encontram moradia, alimentação, atividades diversas e são levadas aos hospitais pelos motoristas que as casas oferecem.

A professora de Educação Física Luana, que trabalha com o circo e com a dança, fez uma incrível apresentação de tecido acrobático (ou trapézio no pano) e declarou ser uma Semeadora Oficial.

Mais convidados subiram ao palco como a Doutora Fernanda Marques do Instituto do Câncer, que levou a mensagem de “prevenção secundaria” que seria o diagnóstico e o tratamento precoce, que quando feitos com antecedência, melhoram 80% dos casos. A doutora também pediu aos pais que não ignorassem as queixas de seus filhos, e que procurem um médico quando as crianças reclamarem de dores.

IMG_3951.JPG

O momento mais emocionante do show foi quando Dário Teixeira fez um homenagem a Marlon Eduany um rapaz de 21 anos que faleceu no começo de setembro deste ano. Marlon vinha enfrentando um câncer terminal há 5 anos. Dário se referiu a Marlon como um irmão e recebeu ao palco, a mãe e a noiva de Marlon, Denise e Rafaela que vieram a convite de Dário, o que obviamente foi muito emocionante para as duas, pois Marlon também participaria do show. Denise e Rafaela receberam flores a trupe e agradeceram todo o trabalho feito pela ONG não só pelo Marlon, mas o trabalho feito por todos aqueles que precisavam. Antes do show a mãe de Marlon disse que mesmo doente ele chegou a trabalhar por dois anos e que ficou muito feliz com o convite da Dário para participar do show. “Às vezes parece que ele vai surgir pela porta” – disse emocionada Rafaela.

A Doutora Maria Rosa, Presidente da ABADS* (Associação Brasileira de Assistência e Desenvolvimento Social) há 3 anos, também foi convidada a subir ao palco para receber flores e falar sobre a ABADS que apoia a ONG Semeando Alegria a 3 meses.  A Doutora, que hoje tem 50 anos, trabalha há 30 com projeto social e começou como voluntária no INCA (Instituto Nacional do Câncer).

Fátima, que é Diretora da ABADS há 18 anos, também estava presente e contou que o dia-a-dia da associação é bem trabalhoso e intenso, no entanto, prazeroso, e afirmou “se não fosse tão bom eu não estaria a tanto tempo”.

Já na reta final o Presidente da ONG, Dário convidou todos que estavam presentes a participarem do Semeando Alegria Show II, que será realizado no dia 14/05/2016, no Esporte Clube Banespa.

Após o termino do show um coquetel foi servido para os convidados especiais e todo o elenco.

BASTIDORES

O show estava marcado para começar às 15h, porém às 13h todo o elenco e os organizadores que eram compostos apenas por jovens, já estavam em plena correria para deixar tudo perfeito. Os últimos ensaios eram feitos, cada detalhe era importante, desde a maquiagem dos atores a organização dos objetos para o coquetel.

Quem entrava nos bastidores poderia ver desde mochilas pelo chão quanto o brilho nos olhos cada integrante que estava preste a realizar um show e levar amor aos corações de quem estivesse presente.

O Sorrisiologista Leandro mais conhecido como Bolinha contou que os trabalhos não realizados somente em hospitais, mas como em orfanatos também, e que muitas vezes ouviu de alguma criança, “tio me adota, me leva pra casa” “é de cortar o coração” – diz Leandro. Ele que atualmente além do trabalho com a ONG Semeando Alegria atua como Doutor da Alegria no hospital Darcy Vargas, na Zona Sul da Capital ressalta, “as crianças nos recebem com muito amor”’.

As 14h40 Dário passava as últimas instruções e deixou a seguinte mensagem a sua equipe, “nós não somos atores da Broadway, estamos aqui por amor, e quando é por amor, tudo da certo”. Todos os participantes fizeram a oração “Pai Nosso” e foram confiantes para o palco levar amor e alegria aos que mais precisam.

 

*Veja o clip e acompanhe a tradução de Firewor – Katy Perry:

* Veja a entrevista de Dário Teixeira para o Rotineiras. Clique aqui!

* A Casa Vida Divina atua com crianças com câncer há 13 anos, enquanto a Casa Ninho a mais de 20 anos. As casas são mantidas sem nenhuma ajuda do Governo, apenas com doações da população, desde ajudas financeiras, até a roupas e alimentos. Para doar para casas basta acessar os sites www.cavd.ong.com.br ou www.casaninho.com.br.

* A ABADS existe há 63 anos e é a antiga Pestalozzi. Atualmente eles cuidam de 780 crianças com deficiência intelectual e autismo, e possuem uma fila de espera de 1.400 crianças. Acesse: http://www.abads.org.br/


11705178_1466043903708565_3948289676417299435_nPara fazer parte da ONG Semeando Alegria, basta gravar um vídeo de 1 minuto dizendo o porquê quer ser um Sorrisiologista e enviar o para ongsemeandoalegriasp@gmail.com. Acompanhe também pelo Facebook, acesse: facebook.com/ONGSemeandoAlegria


CONFIRA AS FOTOS DO EVENTO:

 

Assédio

images
Mais um dia cheio, saio do serviço e vou para a faculdade. Correr para pegar o ônibus já natural, ficar de pé já não incomoda mais. Um sujeito educado está sentado:
— Moça posso segurar sua bolsa?
— Claro, obrigada.
A viagem ficou mais leve, e assim continuo meu caminho. Um lugar vazio, sento no cantinho. Que lindo por do sol, os raios entram pela janela e iluminam o livro que está em minhas mãos.
Quase chegando no meu ponto, guardo o livro na bolsa e pego o celular, hora de conectar o fone de ouvido, o volume está ótimo e eu estou pronta para descer.
Ônibus cheio, é normal uma aproximação, relevo. As portas se abrem e eu desço, 500 metros até o metrô. Tudo estava normal, o dia estava até mais bonito. Sinto novamente a mesma aproximação do ônibus, mas dessa vez estava acompanhada.
Continuo andando pela passarela, e o que era só uma aproximação, agora são dois homens que chegam mais perto. Aperto o passo. Não adianta, piora. Os dois que antes apenas se aproximavam agora falam, e a fala não é boa. Não porque não são brasileiros, mas porque a fala é de baixo calão. No começo foi um “psiu”, depois virou “ei morena”, e se transformou em “gostosa, delicia”.
Ai que a ficha caiu, é um assédio!
Continuo andando rápido, aumento o volume do som, mas continuo escutando aquelas palavras. Não olho para os seus rostos, procuro os policiais, não vejo um. Ninguém para ajudar. Me vejo no meio de dois homens que têm o dobro do meu tamanho. As palavras continuam e agora eles estão encostando em mim. Então vem o sentimento de medo.
Finalmente a passarela acaba, descer a rampa é mais rápido. Eles ainda estão atrás, um de cada lado. A rampa acabou, vejo a entrada do metrô, quase corro, passo na catraca e subo as escadas tão rápido como nunca antes.
O metrô chega, entro e respiro fundo. Uma lagrima cai, e eu que sempre fui forte, hoje enfraqueci quando fui assediada.

— Rosângela Tomas.

Veja a cobertura completa feita pelo Rotineiras, do protesto contra abusos sexuais. CLIQUE AQUI.


10606264_343137452532316_839977188994860066_n

Rosângela Tomas de Carvalho tem 21 anos e é estudante de Jornalismo na FAPSP (Faculdade de Comunicação).

Dona de uma inteligência invejável e um sorriso completamente cativante, Rosângela sofreu assédio por duas vezes na última semana, o que a motivou para escrever a crônica. Apesar de sua personalidade forte e seus passos firmes, estremece só ao imaginar que poderia ter acontecido o pior. Passado o susto, ela encontrou nas palavras sua força de defesa e alerta de precaução.

Saiba mais sobre essa jovem jornalista, clicando aqui.